primeiras reflexões…

Em comunicação digital tento provocar as primeiras reflexões sobre a digitalização e suas conseqüências na rotina social e especificamente de comunicadores.  Turmas de 1o semestre, proposta desenvolver em grupos, websites com imagens e um vídeo refletindo sobre 2 capítulos de um dos três livros: Cibercultura, Lemos; Galáxia da Internet, Castells; Cultura da interface, Johnson. Resultados alcançados pelas turmas:

Resumo Cibercultura: http://sites.google.com/site/resumodolivrocibercultura
Ciberpunk project: http://sites.google.com/site/cyberpunkproject/
Comunidade Virtual http://sites.google.com/site/comunidadevirtualjordana/
Cultura da interface: http://sites.google.com/site/desktoop/
Interface Digital: http://sites.google.com/site/interfacedigitalwanubia/
Midia virtual: http://sites.google.com/site/midiavirtualweb/
http://sites.google.com/site/cyberculthouse/
http://sites.google.com/site/metamorfosevirtual
http://sites.google.com/site/metaforasdomundodigital/
http://sites.google.com/site/multimidiaeadivisaodigital/Home
http://sites.google.com/site/areacybernetica/home

Anúncios

caquinha!

digitalApaguei sem querer todo meu bookmark do firefox! Mais de mil páginas indexadas por temas de interesse, de links do mundo geek, design, pesquisas, a receitas de comida sem lactose. Tudo pro beleléu!

Normalmente eu acumulo os links durante o ano e lá pra dezembro eu faço backup para um diretório de arquivamento. Tenho um diretório de favoritos com uma coletânea das navegadas por cada ano, desde 1999. Minha imperícia ao usar o Ccleaner teve um preço que não terei como resgatar.

Pra assegurar o que sobrou desse mês. Alguns links de geradores de trecos que andei visitando:

o que um template não pode fazer

Um template ou modelo de diagramação, pode facilitar muito a vida de quem está focado apenas na produção de informação textual. Testado e aprovado por alguém, sempre tem um template que dá conta das principais necessidades de um produto, impresso ou web. Bom. E aí?
Aí entram as variantes que tornam a área da comunicação um vasto campo de estudo e experimentação. Variantes que potencilizam soluções criativas baseadas na tecnica, na arte, na sensibilidade e na real necessidade de cada produto.
Nem todo texto pode ser reduzido ou ampliado ao número “x” de caracteres para caber num gabarito pré-concebido.
Nem sempre só o texto dá conta de informar com qualidade sobre determinados temas.
A empatia com o receptor não se dá pela repetição de formatos, mas pela boa acomodação.
Identidade não é repetição constante dos mesmos elementos, mas arranjos na linguagem visual e textual que promovem um conforto.
Um template pode dar a solução rápida, mas nem sempre dá a precisa.

como sempre: de que comunicação falar?

A veiculação da informação é uma das etapas do estabelecimento da comunicação (…) o objeto da comunicaçao se desloca pra além dos objetos de midia (…) ampliação do objeto e delimitação de campo. Transdisciplinaridade. [eduardo duarte]

… enfrentar a necessidade de mediação como é enfrentar a complexidade do objeto (…) Não raro a ciência da comunicação se envolve com características dos meios e canais comunicativos e os temas estudados restringem-se ás descrições das características de montagem  daqueles canais (…) mais que rotação transdisciplinar promove-se a circularidade construtiva… [lucrecia ferrara]

mais periodismo

Portada
Guía de
Comunicación Digital
Fernando Núñez Noda. Publicaciones UCAB,  (Caracas, 2005).
221 páginas.

 

link para site de apoio

visita JBr

22h02 – Jornal de Brasília recebe estudantes de Comunicação

periodismo

Achei, nas naveganças pela blogosfera fártil [fértil e farta], um manual de jornalismo peruano.

Vale pelo manual e pela dica do gerador de flip pages. Só não consegui fazer o share para o wordpress. Coisa sempre problemática.

Resumen del MANUAL DE PERIODISMO
 
 
Open Document
Open Document

Exercício de ser jornalista

Os trabalhos das turmas de jornalismo digital estão timidamente saindo do plano ds idéias…
É uma liberação do receio de lidar com o meio digital de forma jornalística e experimentar suas alternativas comunicativas. A média de alunos das turmas está cursando o quarto semestre de jornalismo.

“http://cirandadenoticias.wordpress.com”
“http://seligaaqui.zip.net”
http://www.ascalcinhasdelas.blogspot.com/
http://www.informarparaformar.jor.br”
“http://gaiaviva.wordpress.com”

Jornalismo SL

bradesco.jpg

O Centro Cultural Bradesco convida para a oficina Jornalismo e Responsabilidade – Blogs e Qualidade da Informação. Com a tutoria da pesquisadora Egle Müller Spinelli a oficina explorará as relações entre as atividades escolares, o jornal e as novas formas de jornalismo científico. A difusão cultural e uso de tecnologias digitais na formulação e implementação de projetos pedagógicos e ensino por temas transversais também serão abordados neste evento. A apresentação desta oficina no centro cultural da Ilha Bradesco no Second Life será nesta segunda-feira, 31 de março às 19h e explorará as relações entre as atividades escolares, o jornal e as novas formas de jornalismo científico. A difusão cultural e uso de tecnologias digitais na formulação eimplementação de projetos pedagógicos e ensino por temas transversais também serão abordados neste evento.

Centro Cultural Bradesco
Link: tinyurl.com/2ax7xe
Áudio disponível também na rádio online: tinyurl.com/28duq2

Crie a sua trilha! Participe das oficinas! Colabore com o debate no ambiente virtual 3De com as atividades que são propostas no ambiente colaborativo
(by Gilson Schwartz)
Curador

incubadora de jornalistas

Por conta de reunir material para (enfim!) a atualização do lattes que juro que vou fazer, perpassei por vários projetos de ex-alunos apresentados em bancas  finais e senti uma ponta de tristeza por ver idéias boas e que pararam no veredito de aprovação da banca. Muita coisa viável e detalhada em monografias, projetos de websites informativos, jornais, vídeos, programas de rádio, livros, ensaios fotográficos. Será que alguém tem alguma estatística do que, suado no stress do TCC, se viabiliza na vida real e competitiva? A gente fala tanto de empreendedorismo nas aulas. Poderia haver algo tipo “residência médica”, que incubasse esses projetos que as bancas ofertam nota dez. Alias, ô moeda inflacionada essa tal de menção…