rock de casa

Meu filho Luca desde pequeno tem um lado criativo muito interessante. Autodidata. Desenha, toca vários instrumentos, compõe, canta.  E tem ainda uma admirável coragem de se expor. (Eu que sofria amarelões e tremelões no teatro sei que dar as caras em público num é fácil não)
Tem algum tempo que ele coloca suas experimentações caseiras no soundcloud e também criou um canal do YOUTUBE e põe online vídeos de autorais e covers que grava sozinho na cara e na coragem.
Boto maior gás, porque as músicas são boas e valem ser compartilhadas! E se é vocação, tesão, ou fogo de palha, tem mais é que experimentar e ver o que os outros acham pra poder ir se aperfeiçoando ou desencantando.
Artista tem que ir onde o povo está, num é?
Daí que ele colocou no facebook uma página pra divulgar esses trabalhos por conta própria.
Pra inaugurar esse novo canal, Luca fez versões mais elaboradas de duas de suas músicas: Me Leva Pra Casa (essa já tem uma versão voz/violão) e Desperation song (inédita) 


Então vamô lá, dar aquela força, que logo, logo ele vai publicar  outras.
Ganhe um tempinho de OUVIR, curtir, COMPARTILHAR com seus amigos e seguidores, dar sua opinião, sugerir temas e tals.
Essas interações são um puta estímulo pra quem quer fazer arte.
Espalha por aí pra mais gente conhecer!!!
Seguem os links

YOUTUBE
Facebook/
SOuNd CloUnD

banda Frequencia

 Que Brasilia dá Rock todo munda sabe. Mas a coisa aqui num fica no passado punk e legionário não.  Rock tá no Dna Brasiliense.

E a dica do sábado é do querido jornalista e fã no. 1, Walberto Maciel:
A banda Frequência.
Enquanto não saí um calendário de apresentações você pode acompanhar a banda pelo Spotify , Youtube


e no Instagram: https://www.instagram.com/bandafrequencia/

Inscrevam-se no canal!! Facebook: https://www.facebook.com/Frequencianaveia/Instagram: https://www.instagram.com/bandafrequencia/ Email para contato: freque…
YOUTUBE.COM

2017

sabe o que eu acho?

Se chorei ou se sorri, o importante é que da qui pra frente tenho muitas resoluções de ano novo acumuladas pra cumprir!
Se chorei ou se sorri, o importante é que da qui pra frente tenho muitas resoluções de ano novo acumuladas pra cumprir!

choveu no meu chip…

Enfim choveu nesta terra de meu Deus. Nunca pensei que fosse achar o cinza a cor mais bonita para um céu. Chuva santa pra refrescar a terra e animar a gente a continuar a estudar.


Quando eu era adolescente (no século passado), uma das primeiras músicas que eu ouvi e que fazia alusão a infotécnica em português, falava de um pc que tinha se molhado… com um refrãozinho chiclete e um “AUUAÁ-AUUAÁ.” que parecia já prever o alerta do ICQ. O mais legal(!) era a dancinha de robô, estilo Arnaldo Antunes que fazíamos sempre em grupo… E eu um robô desconexo… hahahaha. Fui caçar a música no google tentando acha o mp3… Porque a memória só gravou o refrão chiclete. Descobri que isso é de 86 (!!) e que tem ao menos mais uns 10 oitentistas que se recordam. 😛

Choveu No Meu Chip

banda:Eletrodomésticos

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Você não acreditaria
Minha tristeza foi sem par
Com o meu chip assim molhado
Não poderei mais computar

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

O meu programa foi pro brejo
Minha memória se apagou
Meu terminal de video verde
Entrou em curto e queimou

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Já eram todos os arquivos
Os meus controles pessoais
O telefone dos amigos
Minhas informações vitais

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Choveu no meu chip
Mas que tristeza sem par
Choveu no meu chip
Não posso mais computar

Choveu no meu chip

“A técnica integra a máquina na sociedade, a torna social e sociável. Constrói para ela, igualmente, o mundo que lhe era indispensável, põe ordem onde o choque incoerente das bielas havia acumulado ruínas.
………
E a ciência (1968!) é um instrumento da técnica na medida que depende do desenvolvimento do progresso técnico”