Canção leve de escárnio e maldizer

Nesta terra de doutores, magníficos reitores, leva-se a sério a comédia!
A musa-pomba do Espírito Santo – e não o bem comum! – Inspira o bispo e o Governante.
Velhos católicos, políticos jovens, senhoras de idade média,
– sem pecado abaixo do Equador – fazem falta e inveja ao inferno de Dante.
Tão comum e tirar-se daqui qualquer coisa que eu também tiraria o chapéu a vontade.
Aos cidadãos respeitáveis, donos de nossas vidas, pais e patrões do país.
Mas em vez tiro o lenço… Não para enxugar, portuguesmente, a saudade…
Mas pra saudar num Ciao! Quem me expulsa de casa!
Dar um “viva, excelência!” E tapar o nariz!
Não, não quero contar vantagem mas já passei fome com muita elegância.
E uns caras estranhos – ordens superiores! Já invadiram minha casa…
Mas com muito respeito!
Diabo de profissão!
Ganhar com o suor de meu gosto o bendito pão e o gim das crianças!
Noblesse oblige! Eu talvez seja o cara que você ama odiar, inimigo do peito!
Cá em casa quem morre se torna querido, tido e havido por justo e inocente.
Mas pode ir tirando o cavalo da chuva que eu não vou nessa de morrer só para agradar vocês.
Aluno mal comportado, pela regra da escola,devo ser reprovado…sumariamente
Mas não faz mal. Deixo os louros ao poeta!
Lauras é o que me importa! Quero o meu dinheiro no fim do mês!
Mas que poeta idiota!
Canções tão tocantes dão sempre uma nota raramente vulgar!
Atentado à Moral e aos bons costumes, lapido diamantes, não falsos brilhantes.
Kitsch elegante que te mente elegantemente!
Oh! Abre alas que eu quero passar!
There’s no business like soul business!
There’s no Political solution, meus caros estudantes!
Tá todo mundo comido, lavado, passado, bronzeado…
Ora, muito obrigado!
Só eu não venço na vida, não ganho dinheiro, não pego mulheres, não faço sucesso!
O velho blues me diz que, ateu como eu, devo manter os modos e o estilo…Réu confesso!
Eles vão para a glória sem passar pela cama… Ou jesus não me ama ou não
entendo nada do riscado!
Não toques esse disco! Não me beijes, por favor!
Meu professor de filosofia me dizia que eu viveria sempre adolescente
Hoje, qualquer mulher, assim que me abandona, já me tem por durão, mesmo sabendo que mente.
Desculpem! Infelizmente não sou à prova de som
nem de amor…de amor…
de amor…de amor….de amor… de amor… de amor… de amor… de amor
Jornal Blues (canção Leve De Escárnio E Maldizer)
Belchior

De olhos abertos


Obrigado Belchior, Fagner…

a palo seco quer dizer algo como “nu e cru” , “na seca”, direto, sem eufemismos. ser objetivo

tipo não dourar nada, nao usar acesseórios, deixar algo na condição mais bruta ou natural possível

falar a palo seco
comar a palo seco
viver a palo seco
tratar a palo seco

Eu estou muito cansada de não poder falar palavras…

A gente sempre volta pra infância quando se sente acuado por algum motivo.
Essa música me lembra juventude e inocência. Não encontrei uma versão boa com clip do Belchior. Não importa. Fechei os olhos e me vi.
Vede-o-pé-do-IpÊ…

apenso ao pé da serra

é muito difícil lidar com cesuras e com autocensuras. pra mim é. queris ser mais a palo seco.  mas é tanta gente pra proteger, tanta história pra nao mexer, tanto caso pra se criar.

daí sufoca.
sufoco.
sufôco.

tocha

Foi-se o sol. Fica a claridade, a multidão e a tocha olímpica sobre o ninho. Mais um dia em Pequim. Cada dia aqui parece que vale dois.

Tenho cantarolado memórias. Me surpreendi que a Camilla conhecia Belchior.

nesse mundo cheio de distâncias desbotei…
saudades de meu trópico com vida a mil
me esperem amores