Consciência

Ouvi alguém falando um dia desses a um velho sábio sobre o quanto de caminho ele tinha percorrido, o quanto ainda lhe faltava a percorrer e da importância, agora nessa fase ingrime da viagem, de toda a bagagem que por décadas ele havia reunido. Observar sua atenção respeitosa àqueles conselhos e o olhar introspectivo e reflexivo que se seguiram, revelou o quanto o velho já antevia do suprimento e das estratégias necessárias na iminente jornada. Seu silêncio, uma reunião de todas as forças que lhe mantinham. Nenhuma promessa de bravura, nenhum desrespeito ao grave. mesmo na angústia a polidez de sempre. Humildade para perceber-se inquieto e inseguro diante do que racionalmente não lhe era novo, mas que ainda não havia sido experienciado com as ferramentas dessa existência. Caro senhor, no trajeto que aparentemente  faz sozinho, ainda há apoio. Estamos de cá, vibrando pelo seu sucesso, mesmo sem saber aonde leva essa jornada. Bons guias permitam seu retorno para nos partilhar mais se si. Bons guias o conduzam conforme a misericórdia e a providência divina.

Na medida que a consciência entra em sintonia com os demais Determinantes, ela os descobre e amplia-se, percorrendo um caminho que vai da força coesiva da individualidade à força expansiva da universalidade. Esta parece uma definição que se ajusta perfeitamente ao que se denomina “a Senda” dos místicos. Esse é também, o sútil mecanismo do desenvolvimento dos poderes mentais e do psiquismo.
A consciência é pois, uma função primordial. Movida pela Vontade ela dinamiza o pensamento, que à sua vez determina a forma, que se manifesta pela Vibração e pelo Movimento ou Ritmo.
A maior tarefa da Consciência Individualizada é compreender o seu próprio micro-universo. Pela dinâmica do pensamento, no seu aspecto objetivo, ela percorre o tempo, sendo no presente, atenção, no passado memória e no futuro intuição.
A consciência em sua plenitude supera o temor da morte, pois em seus estádios de expansão ela tem trânsito em todos níveis vibratórios, quando as dimensões de tempo e espaço são desfeitas, prevalecendo o sentido da eternidade.
A consciência torna-se objetiva para apreender o mundo fenomenológico, mas permanece substancialmente ligada a Consciência Cósmica.
A evolução da consciência implica também na expansão e ativação da inteligência, pois quanto mais um indivíduo evolui, mais ele penetra na vida e na intimidade das cosias e dos seres.
A consciência percorre 3 etapas no processo evolutivo:
                                                                                   Despertamento; Purificação;Iluminação
As fases do processo evolutivo tem analogia com a criatividade em que atuam simultaneamente e as forças de coesão e de expansão, que se identificam a substancia. Essas fases são caracterizadas (como se denomina em Psicologia): “processo de individualização”.
A consciência objetiva depende dos sentidos. Estes são extremamente limitados e adequados apenas para a condução mais ou menos suficiente na experiencia existencial.
É próprio da consciência subjetiva a experiencia transpessoal que é definida como estado alterado de consciência.

A consciência é algo que projetada do Todo (unidade) percebe; e percebendo, existe; e existindo, cria e evolui: “A eterna imagem da roda da vida ou espiral evolutiva”
ESSÊNCIA <-> CONSCIÊNCIA <-> EXISTÊNCIA
EJT, A mente sem limites, 2oo5.
Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s