O rock do italiano Ligabue: pra brasileiro ver e curtir

Em janeiro, o rockstar Luciano Ligabue, um dos cantores mais famosos e populares na Itália, traz para São Paulo uma sonoridade diversa daquela que brasileiros em geral imaginam para a música Italiana.
Mondovisione é a primeira turnê que traz o cantor italiano à América Latina, com apresentações únicas em São Paulo e em Buenos Aires.

Atravessar as fronteiras da Comunidade Europeia talvez seja a experiência que faltava na carreira de mais de 20 anos de sucesso do roqueiro. Esperado ansiosamente pelos fãs brasileiros (sim, eles existem!) e italianos imigrados, já no primeiro dia de vendas se esgotaram as primeiras filas na platéia do Teatro Bradesco. Promessa de tietagem e satisfação que é confirmada nos diálogos que movimentam a Fan-page “Ligabue BRASIL” dedicada ao rockstar no FaceBook.

Mondovisione apresenta ao público o álbum homônimo lançado em 2013. O tour começou oficialmente no Estádio Olímpico de Roma, lotado; e durante 2014 percorreu toda Itália também lotando estádios, arenas, boates e teatros. Apresentações no Canadá e nos Estados Unidos deram início a turnê mundial que após a visita à América Latina vai para a Austrália.

Liga, como os fãs o tratam, é um dos ícones da cena contemporânea italiana. A título de comparação alguns jornalistas do continente americano o tem chamado de o “U2 Italiano” ou “Bruce Springsteen italiano”. Mas são comparações complicadas de se fazer. Junto com o cantor está o suporte de uma banda de altíssima qualidade: o Gruppo, composta por Federico “Fede” Poggipollini (guitarra), Niccolò Bossini (guitarra), Max Cottafavi (guitarra), Luciano Luisi (teclados e programação), Michael Urbano (bateria) e Davide Pezzin (baixo).

Em sua carreira foram 10 álbuns. Todos premiadíssimos na Itália. Mas o roqueiro sempre deu grande importância às performances ao vivo. E consegue encher a cada show, arenas históricas como a de Verona, estádios como o San Siro ou boates como a Alcatraz, em Milão.
Sempre com uma plateia extasiada fazendo coro em todas as músicas.
Em 2005, por exemplo, realizou um concerto em Campovolo, dentro do aeroporto de Reggio Emilia, assistido por 180 mil fãs, um recorde na Europa, repetido em 2011 quando o número de espectadores foi limitado a 110 mil pessoas por motivos de segurança.

Uma característica retomada com mais ênfase no álbum atual é a crítica política. Muito impulsionado pelo descontentamento com a forte crise que seu país tem vivido nos últimos anos. Como o próprio diz em entrevistas à imprensa italiana, tenta sensibilizar aqueles ouvem suas músicas falando de política. “Uma forma de inquietar consciências”, diz.
Exemplo: Il sale della terra (Sal da Terra) que segundo o cantor fala de uma crise que não é só econômica, mas social e de comportamento. “Tem a ver com a necessidade de poder, com as consequências produzidas por aqueles que querem tomar o poder a todo o custo e a todo custo mantê-lo”, explica. Assim também em Il muro del suono (A barreira do som) com frases do tipo: “Aqueles que tinham que pagar pela fome, nunca pagaram” que dão voz à indignação geral sobre a crise econômica, contra quem está no poder e toda sorte de corrupção.

Neto de um herói da resistência contra o fascismo, Ligabue nunca escondeu suas simpatias e decepções políticas. Pai de dois filhos, um de cada casamento. Mora e convive socialmente em sua cidade natal, Correggio. Não se vergonha de expor um pouco de si em suas composições. Sua província, família, amigos, vivências e opiniões francas personalizam seu trabalho. Apesar do forte sotaque emiliano, suas letras em geral cabem na história de vida de qualquer pessoa em qualquer parte do mundo. Ligabue é um cronista ciente de seu tempo. Às vezes ácidas, às vezes irônicas ou mesmo ternas, as canções conseguem tocar qualquer um que as escute.

Estreia Tardia

Nascido em 1960, Riccardo Luciano Ligabue, graduado em contabilidade, experimentou atividades diversificadas até encontrar seu lugar. Iniciou oficialmente a carreira artística aos 30 anos de idade. Só em 1990, com Ligabue, seu primeiro álbum, obteve bom sucesso nas rádios. Foi uma das estreias mais bem-sucedidas da história da indústria fonográfica italiana. A primeira turnê durou três anos (de 1990 a 1993), com 250 apresentações pela Itália.

A consagração veio com o álbum Buon compleano,Elvis! (Feliz aniversário. Elvis), de 1995, que vendeu mais de um milhão de cópias. Ficou entre os mais vendidos por 15 meses, com cada uma de suas faixas tocadas nas rádios italianas. A partir de então, a carreira de Ligabue está em ascensão constante.

Ligabue e seus outros talentos. 

Além do carisma e das habilidades musicais que encantam fãs de todas as idades em todas partes do mundo, ele também se aventurou como diretor de cinema e escritor. Sua estreia no cinema foi com o filme Radiofreccia,1998, exibido no Festival de Cinema de Veneza e premiado com o David di Donatello em 3 categorias (Melhor Novo Diretor, Melhor Ator e Melhor Trilha Sonora Original) 2 prêmios Nastri d’Argento. Em 2002, o segundo filme Di zero a dieci (De zero a dez) não obteve o mesmo sucesso de crítica e de público.

Na literatura estreou com a coleção de contos Fuori e dentro il borgo, em 1998 (vencedor do prêmio Elsa Morante). Bons resultados também para os subsequentes:

releitura livre inspirada no original
Uma releitura minha do poster da turnê, livre-inspirada no original 🙂

o romance La neve se ne frega, (A neve não se importa) obtendo um sucesso notável; as poesias de Lettere d’amore nel frigo (Cartas de amor na geladeira) e a coletânea de contos Il rumore dei baci a vuoto (O ruído de beijos ao vácuo).
Grande apreciador do futebol, fã incondicional do Inter de Milão, compôs Urlando contro il cielo (Gritando aos céus) transformada num canto de torcida que ecoa constantemente nos estádios. Em outro de seus sucessos, Una vita da mediano (Uma vida no meio campo) cita o meio-campista do Inter e campeão na Espanha em 1982, Gabriele Oriali.
Em tradução livre, seria essa sua filosofia de trabalho: As pessoas que estão me ouvindo não me pertencem, são um empréstimo por um par de horas e eu tento dar-lhes a felicidade. Então o dia 20 de janeiro, às 21 horas, no Teatro Bradesco, em São Paulo, será uma celebração para quem já o conhece e a melhor oportunidade para quem ainda não teve esse prazer. Concordam e assinam os fãs.

Links relacionados:
http://www.ligachannel.com
http://www.barmario.ligabue.com
http://www.facebook.com/Ligabue
http://www.twitter.com/Ligabue
www. youtube.com/ligabue
http://www.warnermusic.it
en.wikipedia.org/wiki/Luciano_Ligabue
Fãs Brasil- https://www.facebook.com/groups/184937254914763
Evento- https://www.facebook.com/events/695094837264418
Com Pavarotti- https://www.youtube.com/watch?v=czbKaFLC_ns
Release produtora no  Brasil – http://goo.gl/uYBVvw

Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )

2 comentários em “O rock do italiano Ligabue: pra brasileiro ver e curtir”

  1. Ótima matéria! Será uma oportunidade ímpar para os já fãs e para aqueles que se tornarão fãs com certeza!!!!

  2. Ótima informação, esse excelente cantor, compositor, etc., precisa ser mais conhecido no Brasil, precisamos de músicas de qualidade como a dele, por favor, divulguem mais o show, esperamos seu sucesso no Brasil e certamente, será uma noite de grande celebração para nós. Obrigada por divulgar ! Auguri de um feliz 2015!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s