mediatizados

É tenso quando a violência chega perto demais. Uma família estrangeira e muito amiga nossa sentiu na pele a insegurança que cada dia aumenta na capital federal. Tiveram a casa invadida e bens furtados. Por sorte no momento do fato todos estavam fora. Outro dia, foram meninos das escolas em que nossos filhos estudam, improvisando rigues na rua. Diariamente são flanelinhas que nos cobram pequenos valores “em salvo conduto” para nos movimentarmos pelas ruas da cidade.
Hoje, enquanto o jornal local falava do aumento de assaltos numa das cidades do DF, aguardavamos em assustados a chegada da perícia. Estavamos a duas ruas de onde o repórter gravava as passagens.
E por irônico que pareça, quase no quintal da delegacia de polícia. Ninguem viu nada, ninguém ouviu nada do que ocorreu ali na vizinhaça, mas todos lembravam que aquilo tinha acabado de ser assunto no jornal. Pela Tv a realidade é mais aceitável.

Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s