gente especial

O autor Heron Luiz e seu livro Pássaro ferido. Conheça o blog dele: http://heronnoticias.zip.net

No ano de 1992, um adolescente portador de deficiência física, causada por poliomielite, fazia a 5ª série. Sua professora de Português mostrou uma figura aos alunos e pediu para que cada um fizesse uma redação a partir dela. Então o garoto perguntou:
– Professora, como eu vou escrever uma redação? Eu nunca escrevi uma!
Ela respondeu:
– Se vira! Você não é quadrado! Eu quero a redação!
Dúvidas tomaram-lhe a cabeça e o adolescente se viu com um grande desafio pela frente. Lutou consigo mesmo até que conseguiu escrever o texto “O menino e o assalto”.
Foi a partir daí que Heron Luiz , hoje estudante de Comunicação Social da Universidade Católica de Brasília, começou a compor os seus poemas.
Dois anos depois de começar a escrevê-los, quando fazia a 7ª série, outra professora, dessa vez a de Educação Artística, apontou um novo rumo para o futuro do adolescente. Ela, como a maioria da sociedade que, muitas vezes, não sabe dispensar aos portadores de deficiências especiais o devido cuidado que merecem, reconheceu que não sabia como avaliá-lo.
O estudante conta que foi para outra escola e que, até começar a se adaptar, passou por dificuldades. Ele então mostrou algumas poesias para a nova professora. Ela, por sua vez, percebeu como poderia avaliar o aluno: utilizaria seus poemas.
Um belo dia, como Luiz mesmo diz, a professora de Educação Artística juntamente com a de Geografia decidiram propôr-lhe mais um desafio:
– Heron, você já tem muitas poesias. O que acha da gente fazer um livro? Ele respondeu:
– Mas eu, professora? Logo eu?
– Por que não? Você não topa?
– Topo! Mas como vai se chamar o livro?
– Aí é com você.
E foi para casa. Lá, entregue a um de seus amores, a MPB, surgiu a inspiração. Ouvia um LP do Roberto Carlos de 1989 quando a música “Pássaro Ferido” (Roberto Carlos/Erasmo Carlos) tocou. O livro acabou se transformando em uma homenagem à música do “rei”.
Pássaro ferido
A redação exigida pela professora da 5ª série integra o livro Pássaro Ferido – Contos e Poesias, lançado na manhã do dia 26, na IX Semana Universitária da Católica. Além de crônicas, o livro reúne poesias de diversos estilos. Publicado pela primeira vez em 1999, pela gráfica do Hospital Sarah Kubitscheck – do qual o escritor é paciente desde criança – teve tiragem modesta de 80 exemplares.
O autor conta que não pensava mais em relançar o livro, mas que, diante da procura pela obra, resolveu fazê-lo. Republicou o livro em 2003, relançando-o em 2004. A segunda edição recebeu apoio do Fundo da Arte e da Cultura (FAC) da Secretaria de Estado de Cultura do Governo do Distrito Federal.
De acordo com seus planos, o futuro jornalista terminará o curso no final do ano que vem. Ele diz que já está com o trabalho de conclusão de curso praticamente pronto: outro livro. Dessa vez, não mais de poesias.
O novo livro contará a história do jornalista Mário Eugênio Rafael de Oliveira – apresentador do programa “Gogó das sete”, da Rádio Planalto, brutalmente assassinado por denunciar um esquema de quadrilhas envolvendo policiais civis e militares na década de 1980.
texto Marlon Maciel (OPN) 2007

Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s