enfim 2006…

31/01/2006 09:44
….

Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

28/01/2006 01:40
as faces do mundo

Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

27/01/2006 00:11
tem dias
“Eu estou muito cansado de não poder de não poder falar palavra”

Não que elas não existam, mas elas estão sem força para transbordar e quando conseguem são tão tímidas, mal colocadas, que parecem estar se desculpando pelo ímpeto.
Uma criança cheia de bolinhas de gude na mão, feliz com todas elas e ansiosa por mostrar aos colegas. De tanta ansiedade deixa que se derramem todas no chão e não sabe se cata as que se espalham ou mostra as que sobraram.
Não é a modéstia que me cala. E a inabilidade que me descompesa.
saravá.
Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

27/01/2006 10:20
1% ou 99%
Uso orkut, uso msn, skipe, icq, blogs, feeds, googlenews e todos os similares e genéricos que a rede vai oferecendo. Mas não abro mão da boa e “velha” lista de discussão. A atitude das pessoas nas listas parece mais colaborativa, mais consciente e criteriosa.
Ultimamente, até pela quantidade de leituras, de livros e pesquisas, sou uma usuária passiva em se tratando de intercâmbio, no quesito aprendizagem porém, tenho sempre encontrado coisas úteis em praticamente todas as 12 de que participo.

Em uma das que participo, por exemplo, está ocorrendo um debate interessante sobre uso de normas técnicas e a partir daí abriu-se um braço a discutir os direitos de reprodução de livros.
Respondendo a um colega sobre interpretação de um trecho de lei:
“(…)A Lei é a de nº 9.610/68, em seu artigo 46º
> “Não constitui ofensa aos direitos autorais:
> II – a reprodução, em um só exemplar, de pequenos trechos, para uso
> privado do copista, desde que feita por este sem o intuito de lucro. (…)”

Outro listeiro interviu com informções que segubdo o proprio são da sua área como especialista em direito autoral. Olha que interessante esse esclarecimento:
“(…)A Lei que regula o assunto é a Lei 9.610/98 (e não trata de software diretamente, que é a 9.609/98 – Lei de direito autoral é usada de forma subsidiária e complementar a ela). Você pode ter cópia dela no seguinte endereço:
https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9610.htm
O item que você diz ser “possível” copia para uso pessoal está no art. 46,II da Lei que diz:
> > Art. 46. Não constitui ofensa aos direitos autorais:
II – a reprodução, em um só exemplar de pequenos trechos, para uso privado do copista, desde que feita por este, sem intuito de lucro;
> > Como você pode ver, a leitura “de um exemplar” é errada!!!!! Não é um exemplar, mas “em um” exemplar de pequenos trechos, ou seja, uma coletânea de citações, ou uma coletânea de trechos importantes que você pode ter salientado no livro. Não é integralidade. Quer dizer que copiar–trechos–de uma obra não constitui infração aos direitos do autor.
> >
O que você não vai encontrar é o quanto desse “trecho” pode ser copiado. 1% ou 99% da obra são trechos da mesma forma, percebe? Não é a integralidade da obra e é essa a imprecisão da Lei. Conforme coloquei na lista, a interpretação dos tribunais é 10% da obra. Particularmente dizendo, recomendo se limitar a 5% da obra por uma série de outras questões que não vem ao caso a discussão agora.
> >
Então você não pode cair nessa pegadinha de que uso privado pode. NÃO PODE NÃO. Também você não tem que acreditar nas lendas de que “copiar parcialmente trechos desta obra consiste em violação dos direitos do autor”, que é o que a ABDR prega na sua cartilha. Também não é verdade, como acabei de mostrar no dispositivo de lei. A Integralidade da obra é vedado, mas uma cópia parcial PODE SIM. A gente só não tem precisão de quanto é esse trecho…
> >
E tem mais: Ao copiar (em sentido amplo, xerox ou transcrição em texto seu) o trecho (dentro dos tais 5-10%) você não está infringindo lei autoral, mas se você tirou XEROX, ELE (o “tio” da XEROX) está violando direito autoral *SIM*, pois ele faz cópia com o objetivo de lucro.
É exatamente o contrário do art. 46, II. Daí a ABDR cair em cima desse povo que vive nas faculdades e vive de XEROX. Eles cometem sim violação ao direito do autor.
A nossa Lei ela é bem aberta em vários pontos, deixando inclusive o Autor fazer sua própria licença. Você pode licenciar pela Creative Commons (http://creativecommons.org/worldwide/br/) sua obra, liberando para usos não comerciais. A lei brasileira da uma brecha ampla para essa licença, e proíbe outras, tornando-as incompatíveis. Mas não tem na Lei algum dispositivo permitindo copia integral da obra, seja para qual motivo for. Ok ?(…)”

Viva a democratização de saberes. Vivendo e aprendendo!

Lila Ribeiro | comentários( 0 )

….::::…::::….

24/01/2006 11:25
………
………
……….
Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

24/01/2006 11:29
……………

Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

19/01/2006 19:56
………..

amor
Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

08/01/200600:40
feliz aniversário pra eu!!!

A VIDA (Henfil?)

“Por muito tempo eu pensei que a minha vida fosse se tornar uma vida de verdade.
Mas sempre havia um obstáculo no caminho, algo a ser ultrapassado antes de
começar a viver, um trabalho não terminado, uma conta a ser paga.
Aí sim, a vida de verdade começaria.
Por fim, cheguei a conclusão de que esses obstáculos eram a minha vida de verdade.
Essa perspectiva tem me ajudado a ver que não existe um caminho para a felicidade.
A felicidade é o caminho!
Assim, aproveite todos os momentos que você tem.
E aproveite-os mais se você tem alguém especial para compartilhar; especial
o suficiente para passar seu tempo;
e lembre-se que o tempo não espera ninguém.
Portanto, pare de esperar até que você termine a faculdade;
Até que você volte para a faculdade;
até que você perca 5 quilos;
até que você ganhe 5 quilos;

até que você tenha tido filhos;
até que seus filhos tenham saído de casa;
até que você se case;

até que você se
até sexta à noite;
até segunda de
até que você tenha
ou uma casa nova;
até que seu carro
sido pagos;
até o próximo
até que você
até que a sua
até que você tenha
até que você
até que você
morra;

divorcie;

manhã;
comprado um carro

ou sua casa tenham

verão, outono, inverno;
esteja aposentado;
música toque;
terminado seu drink;
esteja sóbrio de novo;

E decida que não há hora melhor para ser feliz do que AGORA MESMO…
Lembre-se:
Felicidade é uma viagem, não um destino”.

Enviado por: Mari
Data de Envio: 16/1/2006 17:54:00
Blog:
Mamy! tá na hora de atualiza isso aqui né? é bom as vezes hehe te amo! beijo ;*
Enviado por: João Bosco Strozzi
Data de Envio: 8/1/2006 08:30:00
Blog: Contos e Crônicas
Lila: Este texto é um bálsamo para quem quer começar o ano novo. Não há otimismo maior do que tirar proveito do que já temos. Abraços.
Enviado por: Turmalina
Data de Envio: 8/1/2006 08:11:00
Blog: http://cartadetarot.blogspot.com/
Parabéns… Que bom começar o ano comemorando mais um novo ano de caminhada! Muitas e muitasfelicidades

….::::…::::….

01/01/2006 20:32
COMEÇAR DE NOVO
Pois é.. chegou 2006… ainda na expectativa do que virá, divido uma das muitas mensagens que recebi por e-mail:
Erros passados, tristezas contraídas, lágrimas choradas, desajustes crônicos!…
Às vezes, acreditas que todas as bênçãos jazem extintas, que todas as portas se mostram cerradas à necessária renovação!…
Esqueces-te, porém, de que a própria sabedoria da vida determina que o dia se refaça cada amanhã.
Começar de novo é o processo da Natureza, desde a semente singela ao gigante solar.
Se experimentaste o peso do desengano, nada te obriga a permanecer sob a corrente do desencanto. Reinicia a construção de teus ideais, em bases mais sólidas, e torna ao calor da experiência, a fim de acalentá-los em plenitude de forças novas.
O fracasso visitou-nos em algum tenta-me de elevação, mas isso não é motivo para desgosto e autopiedade, porquanto, freqüentemente, o malogro de nossos anseios significa ordem do Alto para mudança de rumo, e começar de novo é o caminha para o êxito desejado.
Temos sido desatentos, diante dos outros, cultivando indiferença ou ingratidão; no entanto, é perfeitamente possível refazer atitudes e começar de novo a plantação da simpatia, oferecendo bondade e compreensão àqueles que nos cercam.
Teremos perdido afeições que supúnhamos inalteráveis; todavia, não será justo, por isso, que venhamos a cair em desânimo.
O tempo nos permite começar de novo, na procura das nossas afinidades autênticas, aquelas afinidades suscetíveis de insuflar-nos coragem para suportar as provações do caminho e assegurar-nos o contentamento de viver.
Desfaçamo-nos de pensamentos amargos, das cargas de angústia, dos ressentimentos que nos alcancem e das mágoas requentadas no peito! Descerremos as janelas da alma para que o sol do entendimento nos higienize e reaqueça a casa íntima.
Tudo na vida pode ser começado de novo para que a lei do progresso e de aperfeiçoamento se cumpra em todas as direções.
Efetivamente, em muitas ocasiões, quando desprezamos as oportunidades e tarefas que nos são concedidas na Obra do Senhor, voltamos tarde a fim de revisá-las e reassumi-las, mas nunca tarde demais.l

Do livro “Alma e Coração”, de Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito de Emmanuel
Lila Ribeiro | comentários

….::::…::::….

Página 1 de 1
Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s