em setembro de 2004

19/09/2004 11:40
No Cachê

http://raizculturablog.files.wordpress.com/2008/01/not16-02-3.jpg Lembra daquele dia que sumiram todos os posts do blog-se? Dias atrás estava caçando algo sobre carnaval na Bahia no google e me deparei com um dos meus posts desaparecidos. Perdido no limbo da internet. Lá estava meu lamento pelo carnaval passado, ou melhor: “não passado” de 2004.

O máximo em virtualidade! Pelo arquivo do blog não há acesso. Apenas pelo cachê do Google.
Vai entender.
********
Orkontatos???
Data de Envio: 17/9/2004 09:11:00 Enviado por:?????? Blog: Olá Liliana, Por acaso você residiu no Cruzeiro, na década de 80? Tem uma irmã que se chama Adriana? Em caso positivo, por gentileza responda-me em “private” através de meu endereço eletrônico.
Blog: sim!! eu mesmo…mas quem é você.?
Não há nenhum endereço eletrônico para postar PVT!!!
fiquei curiosa agora!
..engraçado… Hoje já acordei lembrando muito dessa deliciosa fase da minha vida!
ah que saudades tenho d’aurora da minha vida, da minha infância…do submarino amarelo…
Lila Ribeiro | comentários

Enviado por: Danny
Data de Envio: 29/9/2004 21:27:00
Blog: http://www.dannystylee.blog-se.com.br
q estranho!
Enviado por: dri
Data de Envio: 27/9/2004 20:58:00
Blog: http://www.esquisitice.blogger.com.br
Os meus comentários sumiram hoje. Será que amanha eles aparecem de novo??? Dri*
Enviado por: delmar marques
Data de Envio: 24/9/2004 22:16:00
Blog: http://www.poemarretados.blog-se.com.br
Botei meu nome do Google e surgiu um texto dizendo algo do tipo “onde estará o repórter Delmar Marques? Ele era o mais louco… ” (rsss) Era não, ainda sou. A velhice jamais nos traz a lucidez, faz apenas com que nossa loucura seja respeitada por nossos cabelos brancos…. aquele abraço do Del
Enviado por: Kith
Data de Envio: 22/9/2004 01:28:00
Blog: http://www.kith.blog-se.com.br
Como será que esses seres “invisíveis” conseguem capturar coisas nossas? Comigo isso acontecia aos montes na faculdade: trabalhos meus apareciam em jornais, alguns deles no dia seguinte que eram entregues… e sempre com outros nomes de autores…
Enviado por: Tetê
Data de Envio: 20/9/2004 01:58:00
Blog: http://www.livrepensamento.blog-se.com.br
Oi, Lila!! Outro dia fui nos arquivos procurar um texto que eu havia blogado e não sabia onde tinha deixado o papel onde ele estava e, Surpresa… cadê aquele post? Fui, voltei e o dia havia sumido…Li uma vez num “gibi” do Mickey que o que some (as coisas que perdemos) passam desta para uma outra dimensão…vai ver foi o que aconteceu com os posts…Querida, obrigada pela visita!!! Boa semana !!! Bjks Tetê
Enviado por: Fátima
Data de Envio: 19/9/2004 21:00:00
Blog: http://www.verbosolto.blog-se.com.br
Olá! Por falar em pesquisa no Google, dia desses coloquei meu nome pra ver a quais textos (meus) remeteria. Com surpresa (e alegria), vi que um jornalista colocou trecho de um artigo meu (devidamente entre aspas) na coluna dele em um jornal diário – também visualizado na net. Ah, grata pela citação do endereço do Verbo Solto em um post abaixo. Abraços!
Enviado por: Ana Luiza
Data de Envio: 19/9/2004 11:45:00
Blog: http://www.anablogada.blogger.com.br
Eu hein?! Vai entender…

….::::…::::….

19/09/2004 10:39
Queridos comentantes
Desde de quando adquiri meus 5 pontos na cabeça quero agradecer os posts do meus queridos comentantes.
Sempre respondo mentalmente a cada um. A-do-ro- me comunicar. Até por pensamento!
Com tantos atropelos no dia-a-dia nesse dramalhão -de trinta e cinco anos- ítalo-mexicano: Mia famiglia.
Colocando em dia os atrasos dos capítulos do seriado semestral Vida de professora universitária.
Realmente não houve muita folga pra dizer oi não.
Então agora, com 50% de tudo resolvido: OIpra vocês! Brigada por tudo viu gentem! Ah, obrigadão aos que me ajudaram no orkut também!!

São amigos que moram no coração.

Como minhas ex-alunas e que me ensinam muito até hoje:
Beatriz – Blog: http://verbalizando.zip.net
Michelle Bravinhttp://www.mibravin.blogger.com.br
Avalyn ou Yoko– Blog: lokah.blogspot.com ou http://www.soudemais.com.br/avalyn ou http://vitrinelaborada.blogspot.com ou….essa é Blogueira total..
Ana Luiza– Blog: http://www.anablogada.blogger.com.br

Ou aos Amores antigo e o Amor novo:
Dri- Blog: http://www.esquisitice.blogger.com.br o Bruno http://zico.zip.net
e o Rei Arthur http://arthurzico.zip.net/

Viviane -sem blog ainda… mas que já tem um link aqui no cuore mio

Além dessas pessoas maravilhosas que ainda não conheço pessoalmente, mas que deixam também suas impressões por aí.
Ana Paula -Blog: http://www.mundodacomunicacao.blog-se.com.br
Capitão Cubex® -Blog: Em obras por motivos de licitação
Comunista- Blog: http://geocities.yahoo.com.br/marxista09/ e site revolucionário: http://geocities.yahoo.com.br/marxista09/
Danielle -Blog: http://www.pititita.blogger.com.br
Dequinh@ -www.revelacoes.blog-se.com.br
Erika Zuza- http://www.canetavirtual.blog-se.com.br
Fátima Nascimento* Blog: http://www.verbosolto.blog-se.com.br
Ivan-sem contatos
Leonardo Bueno-Blog: cronistaurbano.blog-se.com.br
Rafael Ramos-sem contatos
Renato Guimarães-Blog: trovasetrombos.blog-se.com.br
Tetê– Blog: http://www.livrepensamento.blog-se.com.br
Veronica -sem contatos
Yuri Achcar-Blog: http://www.yuri.blog-se.com.br
Obrigada também aos que passeiam por aqui, mesmo sem comentar!
Somos todos partes iguais dessa blogosfera cibercaotica.

Oração ao Tempo
(Caetano Veloso)

Lila Ribeiro |

….::::…::::….

05/09/2004 14:03
Tempos pós modernos
“Tempos Modernos”, de Charles Chaplin. Por que ainda hoje, início do século XXI, este filme que estreou em 1936 parece tão atual?
Seguramente porque nossa sociedade de transição tem arraigada as mesmas angústias representadas no clássico. No filme, a alienação do processo de produção em série desconsiderava o indivíduo, limitando a liberdade de quem produzia a riqueza.
Ainda sofremos o reflexo desta sociedade onde o indivíduo teve a formação voltada para a linha de produção e não consegue participar, por vários fatores, da sociedade informacional. As represálias por parte da autoridade constituída, a desumanização das pessoas de classes menos privilegiadas que sob o rótulo de “povo”(não eu, os outros) são tratadas como estatística e conduzidas por políticas genéricas.

Mas essa relação não é unilateral, o costume — que considero anterior a sociedade industrial, e que interfere até hoje nas nossas vidas é a acomodação e a passividade de cada pessoa em esperar que uma ação seja ordenada por um ente superior para que se tome alguma atitude reativa.
Mesmo hoje com o excesso de informações circulantes, há pouca reflexão sobre as coisas que nos rodeiam. Nos habituamos com informações pré-formatadas, com idéias preconcebidas. Há sempre muita resistência às iniciativas inovadoras, pois a inovação forçosamente mexe na acomodação.
A necessidade de se dar bem em cima do outro, a valoração do “quanto se tem” em detrimento do “quanto se pode” que rotula pessoas em castas hierárquicas, baseando mais em posses materiais do que nas capacidades intelectivas e produtivas.

Um grande tabu ainda em nossa época é tratar sem paternalismos sobre o papel imprescindível do cidadão na formação social adequada. Confundindo carência com incapacidade, de diversas formas a sociedade acaba por alimentar a acomodação e a improdutividade. Tornando responsabilidade de poucos o que de fato depende do conjunto da sociedade.

Todas estas coisas fecham um círculo vicioso que na formatação da sociedade industrial oprimia o indivíduo, alienando-o da possibilidade de romper esta cadeia. Esta situação afeta ainda hoje nossas vidas no grande desnivelamento social que gera a violência urbana, que mantém a falta de empregabilidade, que sobrecarrega o sistema de saúde pública e que impede a nações em desenvolvimento como o Brasil, de buscarem estrategicamente uma posição mais confortável na sociedade informacional.

Por outro ponto de vista, menos pessimista, não podemos desconsiderar que aos poucos que conseguiram sobressair-se em nosso sistema resta a responsabilidade de abrir novos caminhos, não de esperança, mas de ação efetiva em prol da sociedade mais justa, onde o acesso à informação e a educação não sirvam apenas para colocar cada um em seu lugar, mas para alimentar a idéia de cada um pode cooperativamente desenvolver-se e apoiar o desenvolvimento do outro sem perda de individualidade e posses.
Lila Ribeiro | comentários

Enviado por: LILA
Data de Envio: 19/9/2004 10:10:00
Blog:
sim!! eu mesmo…mas quem é você…engraçado…hoje acordei lembrando muito dessa deliciosa fase da minha vida!
Enviado por:
Data de Envio: 17/9/2004 09:11:00
Blog:
Olá Liliana, Por acaso você residiu no Cruzeiro, na década de 80? Tem uma irmã que se chama Adriana? Em caso positivo, por gentileza responda-me em “private” através de meu endereço eletrônico.
Enviado por: Ana Luiza
Data de Envio: 11/9/2004 22:54:00
Blog: http://www.anablogada.blogger.com.br
Eu sou louca pra ver esse filme…. Acho que vou aproveitar o dia de amanhã e assistí-lo!!!!!! um beijo

….::::…::::….

Página 1 de 1
Anúncios

Autor: >Lila

jornalista, vicionauta, blogueira, muito interessada em educação e comunicação [social, visual, digital] (professora, aluna, pesquisadora, mãe, filha e avó em ordem randômica de tempo, espaço e sensações )